Saltar para o conteúdo

Seguros de férias em tempo de pandemia

22.12.2020 • 21:03
0

Quem paga as taxas de cancelamento quando as férias são canceladas devido ao coronavírus? A Fundação Warentest analisou dezenas de seguros. Importante ao celebrar uma apólice: não pensar apenas no cancelamento da viagem.

Dores de cabeça, constipação, um pouco de tosse — antigamente, não era coisa que impedisse necessariamente um viajante de ir para o aeroporto e voar para Sul. Em caso de necessidade, recuperava durante dois dias no quarto de hotel, comia laranjas e tomava aspirina ao pequeno-almoço e só ao terceiro dia de férias saltava para dentro da piscina, se a dor de garganta tivesse entretanto aliviado. Sempre era melhor do que ficar em casa. Muita gente poupava no seguro de cancelamento da viagem. Que poderia aliás acontecer?

-Depois veio a pandemia e, de repente, tornou-se evidente para todos o que podia efectivamente acontecer. Podíamos ter dores de cabeça. Ou uma constipação. Ou um nadinha de tosse. E na medição da temperatura no aeroporto poderíamos estar umas décimas acima do normal. E as nossas férias poderiam acabar num ápice.

Quem quis viajar este ano apesar do coronavírus — ou que sonha já saudosamente com as férias de 2021 — ter-se-á muito seguramente colocado a seguinte questão: vou receber o meu dinheiro de volta se a Covid-19 me estragar os planos, por exemplo se eu próprio for suspeito ou tiver mesmo um teste positivo?

Como é evidente, o sector dos seguros tem logo uma resposta a esta pergunta e namora os indivíduos e as famílias com produtos para diversos cenários: se quisermos segurar uma só viagem ou se estivermos a planear desde já várias viagens num ano e as quisermos segurar todas num só pacote.

Fonte: Der Spiegel

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.